TESTE
por Suzane Carvalho

NOVO UNO ATTRACTIVE 1.4 SE SAIU BEM NA ESTRADA



        Eu já estava há muito tempo sem testar um carro pequeno, e o Novo Uno com motor 1.4 não me decepcionou.

        Fiz 1.400 quilômetros em estradas de asfalto e de terra, além de andar no trânsito do Rio e de São Paulo. Andei com peso médio, ou seja, duas pessoas mais malas, e mesmo assim, o carro chegou fácil a 140 Km/h.



        O ajuste da suspensão, mais para dura, está excelente para estrada de asfalto e tive total controle do carro nas serras e curvas de alta e baixa velocidade. Na terra, o controle do carro também foi total. Já na cidade, senti muito as imperfeições do asfalto, e as colunas dianteiras atrapalham um pouco a visibilidade nas dobras de esquina. Já a visibilidade lateral, é boa.

        Na estrada, o barulho de vento na janela do motorista me incomodou um pouco, talvez devido a um problema na vedação do vidro.


        Seu motor transversal Fire 1.4 Evo Flex (1.368,3 cm3 reais) com 4 cilindros em linha, tem duas válvulas por cilindro mas com injeção eletrônica multipoint, e a taxa de compressão de 12,35/1, o deixa bem elástico e esperto, funcionando bem a partir de 2.000 rpm, o que é bastante cômodo para andar na cidade.




        NA ESTRADA
        Seus 88 cavalos de potência, utilizando álcool como combustível, estão a 5.750 rpm, giro em que praticamente ninguém anda. Em 5ª marcha, por exemplo, a 4.000 rpm ele está a 140 Km/h. A 5.000 rpm, está a 160 Km/h. Nos 5.750 giros, onde está a potência máxima, está a 170 Km/h, velocidade que não aconselho ninguém a andar pelas estradas afora. Mas com marchas mais curtas e necessidade de subir com o carro pesado, podemos utilizar toda sua potência e torque, que está a 3500 rpm.
        Com gasolina, perde 3 cavalos.
        O meu de 0 a 100, com meio tanque de gasolina, ficou em 11.9 s.


        Em relação ao GPS, o velocímetro teve uma diferença de 6,5% para menos. Enquanto o velocímetro marcava 100 Km/h, o GPS marcava 93,5.

        Os freios, tambor na traseira e discos na frente, com ABS, não se mostraram tão eficientes em uma frenagem de emergência, pois o ABS demora um pouco para entrar em ação e a frente do carro tende a desviar da trajetória.

        Os faróis são bons, mas o que me chamou a atenção, foi a excelente luminosidade da luz de ré.






        DESING
        Pesando 925 Kgs e medindo 3.77m x 1.63 m, é um carro pequeno.

        Com quatro portas, é fácil para qualquer passageiro entrar ou sair, ou colocar bagagens.

        O interior é espaçoso e agradável. Toda a forração plástica interna tem textura (com opções de desenhos), e tem regulagem de altura de volante e banco do motorista, o que atrai motoristas mais altos que normalmente têm problemas com carros pequenos.

        A regulagem do encosto dos bancos deste novo hatchback melhorou bastante em relação a modelos anteriores da FIAT, mas o enconsto de cabeça dos bancos dianteiros não tem regulagem de altura.



        O painel é eficiente e bonito, com conta-giros e bastante luzes-espia, conjugando as informações entre os formatos analógico e digital. Os direcionadores do ar-condicionado são eficientes e o modelo que testei vem com duplo air-bag, direção hidráulica, faróis de milha, limpador e desembaçador traseiros, painel dianteiro em duas cores, ar-condicionado quente/frio, porta-copos, porta-óculos, pára-brisa térmico, luz traseira de chuva, travas e vidros dianteiros elétricos, comandos de abertura do porta-malas e tanque de combustível internos, rádio CD/MP3 player com Bluetooth, viva-voz e conexão USB, quatro caixas de som e dois twitters.

        No teto, entre o motorista e passageiro, o espaço é aproveitado com porta-trecos e um espelho convexo que dá ampla visibilidade do banco traseiro. O aproveitamento deste espaço já se tornou um marco nos carros da FIAT.
        O banco traseiro tem enconsto rebatível, caso necessário carregar volumes maiores, além de duas regulagens de angulação.



        O compartimento do motor é bem organizado e simples.





        CONSUMO
        Na cidade, abastecido com álcool e utilizando ar-condicionado, a média do consumo foi 8,08 Km/l, enquanto na estrada, com carga média, gasolina comum e sem ar-condicionado, o consumo foi de 11,32 Km/l.
        É possível melhorar esta média se andar com o giro mais baixo do que andei.



        O preço deste modelo Attractive 1.4 que testei, é de R$ 40.425,00 enquanto que o com motor 1.0 básico, sai por R$ 28.490,00

        Meu parecer: é um carro pequeno e simpático, prático na cidade e com bom desempenho na estrada, com bastante itens de conforto e opcionais, e que não aperta os passageiros.



Julho de 2010


LEIA AQUI ALGUNS TESTES DE CARROS, MOTOS E CAMINHÕES FEITOS POR SUZANE

TESTE DA SUZUKI GSX 1300R HAYABUSA

TESTE DA YAMAHA TÉNÉRÉ 250

TESTE DE 100 Km DO J6, MINIVAN DA JAC MOTORS

1.500 KM COM O JAC J3 TURIN

TESTE DA HARLEY-DAVIDSON SOFTAIL DELUXE

HONDA HORNET 600 NA PISTA E NA ESTRADA

RANGE ROVER VOGUE TDV8 4.4

TESTE DO NOVO CARGO 1932 DA FORD

APRESENTAÇÃO/TESTE DA BIG TRAIL DA HONDA, XL 700V TRANSALP

EXPEDIÇÃO-TESTE COM O LUXUOSO OFF ROAD, LAND ROVER FREELANDER 2

APRESENTAÇÃO/TESTE DA HONDA VFR 1200F

TESTE DO JAC J3 HATCH

TESTE DO MERCEDES-BENZ CLASSE C 250 CGI

TESTE DO LAND ROVER DEFENDER

COMPARATIVO ENTRE 3 MODELOS DO FIAT IDEA

TESTE DO FIAT PUNTO 1.8

APRESENTAÇÃO DA HONDA SHADOW 750 2011

TESTE DA HONDA BIZ 125 FLEX 2011

TESTE DA SUZUKI GSX-R 1000

TESTE DO BRAVO, O NOVO HATCH ESPORTIVO DA FIAT

TESTE DO INSIGHT E DO CR-Z, OS MODELOS HÍBRIDOS DA HONDA

TESTE DO MUSCLE CAR DA GM, O CHEVROLET CAMARO 2011

TESTE DOS NOVOS MOTORES E.TORQ DA FIAT

APRESENTAÇÃO E TESTE DO CITROEN C3 AIRCROSS

TESTE DA HONDA CBR 1000RR FIREBLADE

TESTE DO CAMINHÃO ACTROS DA MERCEDES-BENZ

TESTE DO NOVO UNO ATTRACTIVE 1.4 NA ESTRADA

TESTE DA KAWASAKI NINJA ZX-10R

TESTE DO NOVO SORENTO

40 ANOS DO RANGE ROVER

30 ANOS DO GOL

TESTE DA YAMAHA XJ6N

TESTE DO SUPERESPORTIVO AUDI R8 V10

TESTE DO NOVO DOBLÒ

TESTE DO CHEVROLET AGILE

TESTE DA HONDA XL 1000V VARADERO

TESTE DO HONDA NEW FIT

TESTE DA HONDA LEAD

TESTE DA HONDA XRE300

TESTE DA HONDA CB300R

TESTE DO TOYOTA SW4 GASOLINA

TESTE DA HONDA VTX 1800C

TESTE DA YAMAHA DRAG STAR 650

TESTE DA YAMAHA XT660R

TESTE DA YAMAHA XTZ 250 LANDER