TESTE
por Suzane Carvalho

TESTE DA HONDA VTX 1800C

CUSTOM COM JEITO DE ESPORTIVA



         Imagine a situação do trânsito às 18 hs de uma 6ª feira no centro da cidade do Rio de Janeiro. Era esse o cenário quando peguei pela 1ª vez a Honda VTX 1800.
         Pensei que talvez pudesse ser “um caminhão” para guiá-la no meio dos ônibus, mas já nos primeiros quarteirões senti que apesar de ter de 2 metros e 45 cm de comprimento e de pesar 321 Kg foi muito fácil driblar o trânsito para chegar a uma via expressa. Em poucos metros eu já me sentia íntima da moto; e nem mesmo o temporal que desabou à noite, quando eu estava em uma serra, me tirou a segurança que a moto passa.

         E esse é o ponto principal da VTX 1800: um excelente projeto de engenharia muito bem executado, que conjuga o conforto de uma moto custom com o desempenho de uma esportiva.
         O conjunto chassi/pneus/amortecedores/freios/motor fez dela uma excelência na categoria.
         Isso sem falar no design, claro!

         O MOTOR 1.800 cilindradas divididas em dois cilindros em V, com duas velas de ignição por cilindro, é o maior vendido pela Honda. Despeja 96 cavalos e meio de potência e tem um torque de quase 16 Kgf a 3000 giros.
         Ela é muito rápida! E faz de 0 a 100 Km em menos de 4 segundos. A velocidade máxima está acima dos 200 Km/h.
A alimentação é por injeção eletrônica e a refrigeração à água, ainda tem direito a ventoinha.         
         A embreagem é hidráulica e o câmbio tem 5 marchas bem elásticas, e em qualquer uma delas, quando você abre o acelerador, ela responde de forma realmente impressionante. A transmissão final é por eixo cardã, o que ajuda a moto a ter pouca vibração.

         Eu rodei 2.000 Km com ela, em 20 dias, e uma vez na estrada, quanto mais alta a velocidade e o giro, mais suave ela roda. O conforto é tão grande que às vezes eu tinha a impressão de estar em um carro.
         Ela transmite muita segurança e mesmo deitando nas curvas, ela continua pregada no chão. Essa incrível estabilidade dá-se em muito pela qualidade dos pneus Dunlop, que vem montados em rodas de liga leve.
         Outro fator que ajuda essa estabilidade, é a qualidade dos amortecedores; os dois traseiros reagem bem a cada ajuste de clique, para mais mole, para pisos irregulares, ou mais duro, para andar em estradas lisas ou com mais peso
         A suspensão dianteira tem garfo telescópio invertido, o que ajuda a moto a ter uma reação bastante rápida.




       O freio com duplo disco e 3 pistões na dianteira e disco simples com 2 pistões na traseira, é proporcional a potência/torque do motor. No caso de necessidade, ele responde muito bem e a moto para muito rapidamente; e o melhor: equilibrada, pois o sistema CBS (Dual Combined Brake System) equaliza a força do freio entre a dianteira e a traseira, não deixando transferir muito peso para frente.

       O desenho arrojado dos aros dá à VTX um ar ainda maior de “esportiva”.
       E apesar de ter aros e pneus de medidas diferentes, 18” na dianteira e 16 na traseira, a altura final deles é a mesma.

       As luzes do painel estão separadas do velocímetro, e ficam em cima do tanque. Quando o sol está a pino, atrapalha um pouco a visibilidade.

       Em relação a posição de pilotagem, foi a custom que melhor me adaptei até hoje. O banco não é tão baixo assim, o braço não fica muito esticado, e as pedaleiras não são muito avançadas, de forma que eu conseguia rodar 200 Km sem parar para me alongar.
       E é possível sentir bem a moto no meio das pernas, o que ajuda em muito a controlá-la na pilotagem.
       Por outro lado, quando parada no trânsito, a chave de ignição que fica do lado esquerdo, fica batendo na perna e a perna direita fica encostada no escapamento. Quer dizer: andar de short, nem pensar.

       Como rodo muito à noite, senti falta de um pouco mais de luz no farol.

       O consumo ficou entre 14-15 Km/l e apesar de no manual dizer que cabem 18 litros da gasolina no tanque, por duas vezes o esvaziei e não entraram mais que 17 litros.

       No visual, além de um design harmonioso, os cromados deixam a VTX 1800 mais vistosa ainda.

       Ah! Ela é importada e o preço está por volta de R$ 55.000,00

       ENFIM, É UMA CUSTOM COM JEITO DE ESPORTIVA!

       Até breve !




Janeiro de 2009


LEIA AQUI ALGUNS TESTES DE CARROS, MOTOS E CAMINHÕES FEITOS POR SUZANE

TESTE DA SUZUKI GSX 1300R HAYABUSA

TESTE DA YAMAHA TÉNÉRÉ 250

TESTE DE 100 Km DO J6, MINIVAN DA JAC MOTORS

1.500 KM COM O JAC J3 TURIN

TESTE DA HARLEY-DAVIDSON SOFTAIL DELUXE

HONDA HORNET 600 NA PISTA E NA ESTRADA

RANGE ROVER VOGUE TDV8 4.4

TESTE DO NOVO CARGO 1932 DA FORD

APRESENTAÇÃO/TESTE DA BIG TRAIL DA HONDA, XL 700V TRANSALP

EXPEDIÇÃO-TESTE COM O LUXUOSO OFF ROAD, LAND ROVER FREELANDER 2

APRESENTAÇÃO/TESTE DA HONDA VFR 1200F

TESTE DO JAC J3 HATCH

TESTE DO MERCEDES-BENZ CLASSE C 250 CGI

TESTE DO LAND ROVER DEFENDER

COMPARATIVO ENTRE 3 MODELOS DO FIAT IDEA

TESTE DO FIAT PUNTO 1.8

APRESENTAÇÃO DA HONDA SHADOW 750 2011

TESTE DA HONDA BIZ 125 FLEX 2011

TESTE DA SUZUKI GSX-R 1000

TESTE DO BRAVO, O NOVO HATCH ESPORTIVO DA FIAT

TESTE DO INSIGHT E DO CR-Z, OS MODELOS HÍBRIDOS DA HONDA

TESTE DO MUSCLE CAR DA GM, O CHEVROLET CAMARO 2011

TESTE DOS NOVOS MOTORES E.TORQ DA FIAT

APRESENTAÇÃO E TESTE DO CITROEN C3 AIRCROSS

TESTE DA HONDA CBR 1000RR FIREBLADE

TESTE DO CAMINHÃO ACTROS DA MERCEDES-BENZ

TESTE DO NOVO UNO ATTRACTIVE 1.4 NA ESTRADA

TESTE DA KAWASAKI NINJA ZX-10R

TESTE DO NOVO SORENTO

40 ANOS DO RANGE ROVER

30 ANOS DO GOL

TESTE DA YAMAHA XJ6N

TESTE DO SUPERESPORTIVO AUDI R8 V10

TESTE DO NOVO DOBLÒ

TESTE DO CHEVROLET AGILE

TESTE DA HONDA XL 1000V VARADERO

TESTE DO HONDA NEW FIT

TESTE DA HONDA LEAD

TESTE DA HONDA XRE300

TESTE DA HONDA CB300R

TESTE DO TOYOTA SW4 GASOLINA

TESTE DA HONDA VTX 1800C

TESTE DA YAMAHA DRAG STAR 650

TESTE DA YAMAHA XT660R

TESTE DA YAMAHA XTZ 250 LANDER